lançamentos oferta da semana
lançamentos oferta da semana
Minha cesta
    Quantidade: Subtotal:
    finalizar compra
    Limpar filtrosFiltrar
    A crise da representação política do Estado: Perspectivas da soberania em Carl Schmitt, Michel Foucault e Giorgio Agamben – 1ª EDIÇÃO - Impresso
    9788578682255
    A crise da representação política do Estado: Perspectivas da soberania em Carl Schmitt, Michel Foucault e Giorgio Agamben – 1ª EDIÇÃO - Impresso
    A crise da representação política do Estado: Perspectivas da soberania em Carl Schmitt, Michel Foucault e Giorgio Agamben – 1ª EDIÇÃO - Impresso
    9788578682255

    Content week 10%

    De: R$ 44,00Por: R$ 39,60ou X de

    Economia de R$ 4,40

    Comprar
    • loja 100% segura
    • Parcelamento em até 12x sem juros
    • 5% de desconto no boleto
    Compartilhe nas redes

    Sobre o Curso

    A soberania representativa é um conceito esvaziado porque apresenta frágeis soluções teóricas quando aplicadas aos aspectos da realidade.
    Este livro tem por objetivo a compreensão do diagnóstico de Giorgio Agamben a respeito da soberania, percorrendo a centralidade da teoria do poder soberano do pensamento de Carl Schmitt e o deslocamento do problema em Michel Foucault.
    Agamben é um intelectual de árido percurso filosófico e a soberania para ele, antes de tudo, é uma questão da potencialidade de não ser. A sua aproximação da realidade se dá pela fórmula preferiria não, na qual ele vislumbra uma possibilidade de destruição da relação entre querer e poder, entre poder constituinte e poder constituído. E tal destruição, de fato, é essencial para Agamben porque o seu conceito de soberania considera uma categoria jurídica não só esvaziada de representação, mas, sobretudo, originária de uma catástrofe biopolítica sem precedentes.
    O caminho escolhido por Agamben para essa conclusão é o de uma ontologia paradigmática, ou seja, eixos de entendimento para os fenômenos que destituíram o caráter político do ordenamento jurídico. Os paradigmas da nuda vita e do estado de exceção, principalmente, são elementos estruturais da soberania cuja função é, enfim, a de manter a vida excepcionada do direito.
    O nó estabelecido pela soberania desata-se por uma nova forma-de-vida, o que significa absoluta profanação de uma potência da vida sobre a qual nem a soberania, nem o direito podem ter mais controle.
    Ainda assim, a autora extrai do direito uma proposta de autonomia ontológica — uma nova perspectiva de poder — para a soberania popular.

    Currículo

    AutorD´urso, Flavia
    CurrículoFlavia D’Urso: Doutora em Filosofia Política e Mestre em Processo Penal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Defensora Pública do Estado de São Paulo e ex-Diretora da Escola da Defensoria Pública do Estado. Foi procuradora do Estado e integrou a Comissão que elaborou o Anteprojeto de Lei Orgânica da Defensoria Pública em São Paulo pelo Sindicato dos Procuradores do Estado, das Autarquias, das Fundações e das Universidades Públicas do Estado de São Paulo (SINDIPROESP). Integrou a Missão da Organização das Nações Unidas (ONU) para a cooperação técnica sobre os sistemas de justiça do Brasil e do Timor Leste. Atua na Vara das Execuções Criminais da Capital.

    Sumário

    SumárioSumário resumido:
    · A noção de soberania em Carl Schmitt
    · O deslocamento do problema da soberania em Michel Foucault
    · A retomada do problema da soberania em Giorgio Agamben
    · A superação da soberania no pensamento de Giorgio Agamben

    Especificações

    Tipo de produtoLivros
    ISBN9788578682255
    Peso0,425 kg
    Largura15,5 cm
    Altura22,5 cm
    Profundidade (lombada)1,6 cm
    Número de páginas300
    EncadernaçãoBrochura
    Ano de publicação2016

    Veja toda a programação

    Veja todos os coordenadores

      Quem viu, viu também

      Relacionados

      Avaliação do Produto

      Dúvidas dos consumidores