lançamentos oferta da semana
Minha cesta
    Quantidade: Subtotal:
    finalizar compra
    Limpar filtrosFiltrar
    A sociedade da sedução - Democracia e narcisismo na hipermodernidade liberal 1ª Edição - Impresso
    9788520459294
    A sociedade da sedução - Democracia e narcisismo na hipermodernidade liberal 1ª Edição - Impresso
    A sociedade da sedução - Democracia e narcisismo na hipermodernidade liberal 1ª Edição - Impresso
    9788520459294
    a-sociedade-da-seducao-democracia-e-narcisismo-na-hipermodernidade-liberal-1-edicao
    Impresso
    De: R$ 170,00
    Por: R$ 153,00ou
    12x de R$ 12,75
    sem juros
    ComprarVendedor manole
    Adicione a lista de desejos

    RED NATAL 10%

    De: R$ 170,00Por: R$ 153,00ou X de

    Economia de R$ 17,00

    Comprar
    a-sociedade-da-seducao-democracia-e-narcisismo-na-hipermodernidade-liberal-1-edicao
    Impresso
    De: R$ 170,00
    Por: R$ 153,00ou
    12x de R$ 12,75
    sem juros
    ComprarVendedor manole
    • loja 100% segura
    • Parcelamento em até 12x sem juros
    • 5% de desconto no boleto
    Compartilhe nas redes

    Sobre o Curso

    Gilles Lipovetsky aborda como o desejo de agradar e os comportamentos de sedução parecem ser atemporais. A hipermodernidade liberal marca uma importante ruptura nessa história milenar, na medida em que impõe a nossas sociedades a generalização do éthos de sedução e a supremacia de seus mecanismos.
    As palavras de ordem não parecem ser mais coagir, ordenar, disciplinar, reprimir, mas sim “agradar e impressionar”. A ambição é de ora em diante uma das grandes leis, agindo em toda parte, na economia, nas mídias, na política, na educação.
    A economia consumista está saturada com ofertas comerciais atrativas do cotidiano, e o cotidiano dominado pelo imperativo de captação dos desejos, da atenção e dos afetos. O modelo educativo elabora-se na compreensão, no prazer, na atenção relacional. Já na esfera política, o tempo não é mais o da convicção pela propaganda, mas o da sedução pela videocomunicação, completando a dinâmica de secularização da instância do poder. A sedução do mundo provocou a emergência de uma individualização hipertrofiada da relação com o outro – maneira extrema de agir sobre o comportamento dos homens e de governá-los, representação extrema do poder nas sociedades democráticas liberais.

    Currículo

    AutorGilles Lipovetsky

    Sinopse

    SinopseObra exemplar, imponente, reveladora. A sedução nem sempre é generosa ou bela. Pode ferir.

    Sumário

    Sumárioapresentação

    DIÁLOGOS COM GILLES LIPOVETSKY

    introdução

    Desejo de agradar e sedução soberana xxv

    A irresistível extensão do campo da sedução xxvii

    Sociedade sedutora ou universo antissedução? Xxx

    Mudar de paradigma xxxi

    A sedução criativa xxxvii

    Por uma sedução aumentada xxxvii

    primeira parte

    A SEDUÇÃO ERÓTICA

    Capítulo I. Da sedução cerceada à sedução soberana

    Amplificar o poder de sedução 4

    Festas, jogos e danças 5

    A voz enfeitiçante 6

    Adornos e ornamentos 7

    Magias 11

    A sedução superlativa: hetairas, gueixas, estrelas 12

    Hetairas e cortesãs 12

    As gueixas como obra de arte viva 14

    A estrela e o glamour 16

    A sedução sufocada 18

    O casamento tradicional ou antissedução estrutural 19

    Do poder feminino à soberania masculina 22

    Casamento por amor e sedução soberana 28

    A gente se agrada, se ama, se casa 28

    Casamento e imperativo de sedução 30

    A sedução soberana e seus inimigos 31

    Capítulo II. Cortejar, flertar, paquerar

    Flerte e frequentação moderna 35

    A liberdade moderna de frequentação 36

    A invenção do flerte 38

    A sedução anticonvencional 42

    Paquerar 42

    O hipermercado da sedução 46

    O boom dos sites de encontros 47

    Paquera máxima, ritual mínimo 48

    Ciberpaquera e consumismo 49

    Por trás da revolução das redes, a continuidade 52

    Capítulo III. Do gesto à fala

    No princípio era o gesto 58

    O cortejar silencioso 58

    O presente de amor 61

    O modelo galante 63

    As falas carinhosas 63

    O espírito cortês 65

    O estilo galante 67

    Do cortejo sentimental à sedução cool 72

    A sedução pós-romântica 72

    O pós-coquetismo feminino 75

    A galanteria tem futuro? 76

    Perpetuação da desigualdade sedutora 77

    Tato, delicadeza e leveza 79

    Capítulo IV. O adorno ou a artealização do corpo

    A artealização do corpo 87

    A sedução como ornamêntica 90

    A divisão sexual das aparências 91

    Adornos e agentividade 93

    Cem mil anos de sedução 94

    O adorno e a exceção humana 96

    Adornos e amor-próprio 100

    Nossos primos, os macacos 101

    Sedução e potência humana de negação 103

    Sinais honestos e sedução enganadora 106

    Capítulo V. A beleza tentadora

    A beleza sem limites 113

    Da beleza ambivalente à beleza positivada 113

    A consagração do direito de agradar 115

    A espiral das técnicas da beleza 116

    A sedução em qualquer idade 118

    A sagração democrática da maquiagem 120

    A condenação da maquiagem 121

    A maquiagem invisível 123

    A maquiagem como arte 124

    A maquiagem desculpabilizada 125

    Rosto, publicidade e cinema 128

    Sentir mais a si mesmo 130

    O “je ne sais quoi” e a sedução singular 131

    A sedução proibida 134

    Tirania da sedução? 138

    Capítulo VI. O encantamento da moda

    A atração da inconstância 142

    O artifício, o frívolo e o fausto 144

    A individualização do parecer 146

    O reinado do look 147

    A erotização das aparências 149

    O sexy 150

    O charme do minimalismo 152

    segunda parte

    A SOCIEDADE DA SEDUÇÃO

    Seduções extraeróticas 157

    A sedução em regime contínuo 162

    “Agradar e impressionar” 166

    Capítulo VII. O capitalismo de sedução

    A industrialização da sedução 170

    Economia de mercado e conquista dos consumidores 174

    A magia do novo e da variedade 179

    Retrato de Don Juan como consumidor 180

    Variedade, escolha e personalização 181

    Lazer e divertimento 183

    Extensão do campo do divertimento 184

    Televisão e entretenimento 186

    A irresistível atração da preguiça 188

    Estilização e erotização da mercadoria 190

    O design do mundo comercial 190

    Arte desestetizada e cotidiano estilizado 192

    Publicidade, beleza e erotismo 193

    Marketing, ficção, redes sociais: o império do afetual 194

    O marketing emocional 195

    As redes sociais como plataformas emocionais 197

    A intimidade emocional 200

    Velocidade e mobilidade 201

    O culto das marcas 202

    Um desencantamento das marcas? 204

    A economia colaborativa contra o hiperconsumo? 206

    Fim do desejo de propriedade? 206

    Fim do hiperconsumo? 208

    Capítulo VIII. A política ou a sedução infeliz

    Da propaganda ao marketing político 212

    Sedução e mercado político 213

    Após a “violação das massas”: a comunicação-sedução 217

    As novas alavancas da sedução política 221

    Midiatização da intimidade e peopolização da vida política 222

    Relooking 224

    A política compassiva 227

    A atração antipoliticamente correta 229

    A política na era do divertimento midiático 231

    O espetáculo da proximidade 231

    A política como corrida hípica 232

    Infoentretenimento 235

    Uma desnaturação da vida pública? 237

    O charme perdido do político 238

    O universo encantado do político 238

    Sedução versus revolução 240

    A onda de despolitização 241

    Desconfiança e desamor 243

    A política ainda pode fazer sonhar? 245

    Capítulo IX. O estágio cool da educação

    Os pais e o desenvolvimento da criança 251

    O medo de ser rejeitado pelos filhos 255

    Bebês idolatrados 256

    Uma manipulação das crianças? 257

    A escola atrativa 260

    Miséria escolar da sedução? 262

    Educação e maravilhamento digital 268

    Capítulo X. Sedução, manipulação, alienação

    Adestramento ou sedução? 274

    Controlar a demanda 274

    Um marketing tentacular 275

    Uma onipotência inacessível 276

    Um marketing totalitário? 279

    Logro, trapaça e sedução 281

    Um capitalismo trapaceiro 281

    A publicidade: entre potência e impotência 282

    Publicidade e cumplicidade 284

    Marketing de manipulação ou marketing de sedução? 286

    Sedução ou desindividuação? 288

    Sedução ou aniquilamento de si? 290

    Sedução e frustração 293

    Uma frustração insuperável? 293

    Uma frustração em alta 294

    Sedução e infantilização 296

    Alienação, vício ou sedução? 298

    O vício em compras 298

    Um mundo estranho a si? 300

    A unidade e o disperso 302

    Mal-estar na civilização sedutora 304

    Capítulo XI. Amanhã:

    qual sociedade da sedução?

    A ecologia contra a sedução mercantil? 310

    O casamento entre a sedução e o sustentável 311

    A ilusão do pós-consumismo 314

    Sedução sombria 318

    Atração fatal 319

    Jihadismo e sociedade da sedução 323

    A sociedade da sedução vigiada 325

    Divertir ou embrutecer? 328

    A sedução torna-se idiota? 328

    Inovação, formação e criação 333

    Inovação, ciência e paixão por empreender 334

    Por uma sociedade educadora global 336

    Criação e cultura 338

    Especificações

    Tipo de produtoLivros
    ISBN9788520459294
    Peso0, 570 kg
    Largura22,5 cm
    Altura16 cm
    Profundidade (lombada)2 cm
    Número de páginas416
    EncadernaçãoBrochura
    Ano de publicação2020

    Sobre o autor

    CurrículoGilles Lipovetsky nasceu em 1944. Filósofo e sociólogo, é autor, entre outras obras, de A sociedade da decepção, A globalização ocidental – controvérsia sobre a cultura planetária e Da leveza – rumo a uma civilização sem peso, todas publicadas pela Editora Manole.

    Veja toda a programação

    Veja todos os coordenadores

      Avaliação do Produto

      Dúvidas dos consumidores