Precisa de ajuda?

(11) 4196-6000
Das 08:00 às 17:00

Whatsapp
LivrosMedicinaNefrologiaDiálise - 1ª Edição - Desafios clínicos e tendências no tratamento

Parcelamento em
até 10x sem juros

Primeira troca
gratuita

5% de desconto
no PIX

Livros | Medicina | Nefrologia

Click me

Diálise - 1ª Edição - Desafios clínicos e tendências no tratamento

Referência: 9786555765427
  • Editores: : Stephen Z. Fadem; José A. Moura-Neto
  • O livro inicia com o histórico da diálise no mundo e no Brasil, apresentando seus principais marcos. Então passa a abordar as práticas, os procedimentos e os métodos mais atuais e aceitos de acordo com os padrões internacionais. Também são abordados temas que tangenciam a diálise, como a busca por oferecer conforto aos pacientes e a diálise sustentável, tema que se faz imprescindível no presente momento, em que as questões ambientais são colocadas em primeiro plano nas ações tanto do poder público como de companhias privadas
  • + Ver mais

    De
    R$ 306,00
    Por
    R$ 88,74
    Ou 8 x de R$ 11,09
    sem juros
    Economize R$ 217,26
    -71%
    Ou R$ 88,74 à vista no pix

    Formas de pagamento


    Por que ler esse livro?
    Diálise: desafios clínicos e tendências no tratamento é a versão brasileira do prestigiado Issues in Kidney Disease – Dialysis, de 2021. A obra apresenta todos as qualidades e inovações do original com o incremento da contextualização das questões no ambiente da Nefrologia brasileira, tanto do ponto de vista histórico como contemporâneo. Além disso, os dados utilizados nesta edição são os mais tualizados, o que proporciona ao leitor uma visão exata do momento que vivemos no que se refere a procedimentos, práticas e métodos de diálise. Seus editores e autores são especialistas na área e profissionais atuantes nas mais importantes instituições acadêmicas do Brasil e do mundo.
      Stephen Z. Fadem: Selzman Institute for Kidney Health, seção de Nefrologia, e Michael E. DeBakey Veterans Affairs Medical Center, Baylor College of Medicine, Houston, Texas, EUA; Kidney Associates, Houston, Texas, EUA. José A. Moura-Neto: Departamento de Medicina Interna, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador, Bahia, Brasil; Presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia.
      Stephen Z. Fadem: Selzman Institute for Kidney Health, seção de Nefrologia, e Michael E. DeBakey Veterans Affairs Medical Center, Baylor College of Medicine, Houston, Texas, EUA; Kidney Associates, Houston, Texas, EUA. José A. Moura-Neto: Departamento de Medicina Interna, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador, Bahia, Brasil; Presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia.
    • Stephen Z. Fadem; José A. Moura-Neto
    • Stephen Z. Fadem; José A. Moura-Neto
    • Origem do livro
      Tradução
    • Título original
      Issues in Kidney Disease – Dialysis
    • Tradução
      Sonia Strong
      Prefácio xxiii Prefácio à edição brasileira xxvii Apresentação xxix Apresentação à edição brasileira xxxi 1 Marcos na diálise 1 Stephen Z. Fadem Introdução 2 Marco 1: a diálise projetada como tratamento para a doença de Bright (1861) 2 Marco 2: heparina (1916) 3 Marco 3: celofane para diálise (1937) 4 Marco 4: a primeira máquina de diálise (1943) 5 Marco 5: transplante de rim (1954) 8 Marco 6: desenvolvimento do acesso arteriovenoso (1960) 8 Marco 7: diálise domiciliar 11 Marco 8: tecnologia de fibras ocas e membrana (década de 1960) 14 Marco 9: infraestrutura para o desenvolvimento de diálise – National Medical Care 17 Marco 10: alteração da Previdência Social de 1973 (1973) 18 Marco 11: Kt/V (1985) 29 Marco 12: agentes estimuladores da eritropoiese (AEE) (1989) 31 Marco 13: doença renal crônica – distúrbio mineral e ósseo (DRC-DMO) (2005) 33 Conclusão 33 Referências 34 2 Unidades de cuidados de transição e doença renal crônica em estágio terminal 38 Introdução e histórico 39 Elementos de um programa de cuidados de transição 41 Aspectos operacionais de um programa de cuidados de transição 45 Conclusão 49 Referências 51 3 Manejo da anemia em pacientes em diálise 53 Ana Flávia Moura, Joan A. Oliveira Moitinho, José H. R. Suassuna Introdução 54 Diagnóstico e avaliação da anemia 55 Tratamento de anemia com compostos ferrosos 56 Papel dos agentes estimulantes da eritropoiese na anemia em pacientes com DRCT 60 Transfusão de concentrado de hemácias 63 Novas terapias 64 Conclusão 66 Referências 66 4 Distúrbio mineral e ósseo na doença renal crônica e calcificação vascular 72 Introdução 72 Anormalidades no metabolismo mineral 73 Anormalidades no turnover, mineralização, volume, crescimento linear e força ósseos 80 Calcificação extraesquelética 85 Conclusão 91 Referências 92 5 Doença renal crônica em estágio terminal e malignidade 102 Introdução 103 Incidência e fatores de risco para câncer em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal (DRCT) 106 Prognóstico e desfechos clínicos 115 Conclusão 117 Pérolas clínicas 117 Referências 118 6 Depuração de ureia pela diálise e metas de depuração 125 Introdução 126 Depuração de ureia pela diálise 126 Depuração do dialisador por sessão 127 Alvos Kt/V ureia 127 Modelos de Kt/V ureia para hemodiálise 127 Kt/V ureia para ajustar a frequência de hemodiálise 129 Utilizando a máquina de diálise para estimar a depuração de ureia 130 Estimando a depuração em pacientes em diálise peritoneal 130 Diálise incremental para depurações de soluto 131 Depuração de ureia renal equivalente 132 Diálise aumentada 133 Erros no cálculo de Kt/V 133 Depuração convectiva do dialisador 134 Interpretando a adequação em pacientes em hemodiálise 135 Métodos alternativos de avaliação da adequação da depuração do dialisador 135 Resumo: ajustando metas de Kt/V para pacientes individuais 136 Referências 136 7 Fadiga em pacientes em diálise 138 Introdução 139 A importância da fadiga 140 A prevalência da fadiga em pacientes tratados com diálise 141 Fatores associados à fadiga na população geral 141 Fadiga em pacientes tratados com diálise 145 Fadiga pós-diálise 145 Diagnóstico e medida da fadiga 147 Medidas neuromusculares 147 Abordando uma pessoa que reclama de fadiga 148 Tratamentos potenciais para fadiga crônica em pacientes tratados com diálise 150 Potenciais tratamentos para fadiga pós-hemodiálise 153 Conclusão 154 Referências 154 8 Redução de internações e reinternações em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal 160 Introdução 161 A magnitude do problema: hospitalização de pacientes com DRCT 162 Sobrecarga volêmica crônica 164 Estratégias para o manejo da sobrecarga volêmica crônica 165 Problemas com o acesso à diálise 167 Anemia em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal 169 Deficiências nutricionais em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal 172 Doenças cardiovasculares em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal 175 Depressão em pacientes com doença cardiovascular crônica 177 Modelo de intervenção para reduzir hospitalizações e reinternações frequentes 180 Conclusão 182 Referências 182 9 Hipertrofia ventricular esquerda em pacientes em diálise 192 Introdução 192 Definição de HVE 193 História natural da HVE na DRC e na DRCT 193 Métodos diagnósticos de HVE 200 Conclusão 201 Referências 203 10 Noções básicas da fístula arteriovenosa para hemodiálise 206 Introdução 207 Tipos de fístula arteriovenosa 207 Seleção de vasos adequados 208 Preservação das veias 210 Momento para cirurgia e escolha dos tipos de fístula arteriovenosa 211 Falha primária da fístula arteriovenosa 213 Complicações da fístula arteriovenosa 215 Conclusão 218 Agradecimentos 218 Referências 218 11 Hemodiálise intensiva 221 Introdução 222 Aspectos técnicos 224 Prescrição de hemodiálise 225 Depuração de soluto 227 Seleção de pacientes para um cronograma intensivo de diálise 229 Treinamento para um cronograma de diálise domiciliar intensiva 230 Barreiras para a hemodiálise domiciliar 231 Histórico de fatores financeiros que afetam a utilização da hemodiálise domiciliar nos EUA 232 Desfechos 234 Benefícios cardiovasculares 235 Conclusão 244 Referências 245 12 Hemodiálise domiciliar 257 Introdução 258 Epidemiologia e demografia 258 Definição e equipamento 259 Desfechos clínicos 261 Dosagem e adequação 267 Recrutamento dos pacientes 270 Triagem dos pacientes 271 Treinamento do paciente 271 Barreiras ao crescimento, sobrevida da técnica e descontinuação 272 Segurança 274 Acesso vascular 275 Referências 276 13 Hemodiafiltração online na doença renal crônica: da prática clínica à evidência 280 Introdução 281 Princípios básicos da HDF online 283 Pré-requisitos para o desenvolvimento de programas de HDF 285 Modalidades de substituição 288 HDF pré-diluição – a experiência japonesa 291 Prescrição da HDF 296 Revisão de evidências clínicas que apoiam o uso da HDF 297 Medicina baseada em evidências revisitada à luz da HDF 304 O que está faltando para preencher a lacuna e provar a superioridade da HDF? 307 Referências 308 14 Cuidados paliativos em diálise 316 Introdução 317 Incluindo a opção de cuidados paliativos na cultura atual de cuidados de diálise 318 Racional para a mudança na abordagem 323 Componentes essenciais da integração dos cuidados paliativos ao cuidado do paciente em diálise 328 Reconhecendo as mudanças em fatores clínicos, funcionais e psicossociais que impactam a tomada de decisões e as metas de cuidado 330 Apoiando os pacientes através da sequência de cuidados em sua jornada clínica e psicossocial 332 Conclusão 336 Referências 336 15 Uma perspectiva global de 360 graus da diálise peritoneal: economia, programas e políticas de saúde 342 Introdução 343 Economia da saúde e diálise peritoneal: o momento global 344 Diálise na África, um recurso escasso: diálise peritoneal como uma oportunidade 350 A política de PD-first na Tailândia 362 Conclusão 368 Referências 369 16 Uma realidade global 360 graus da diálise peritoneal: experiência clínica e evidência 376 Introdução 377 Adequação da diálise no México: suas origens e consequências não resolvidas 378 Uma experiência de diálise peritoneal única no Oriente Médio 384 O renascimento da diálise peritoneal na injúria renal aguda 390 Diálise peritoneal em indígenas australianos: uma visão pessoal 396 Observações finais 405 Referências 407 17 Educação em diálise peritoneal: uma perspectiva global 415 Introdução 416 Conteúdo curricular e avaliação de aprendizagem dos programas educacionais dos pacientes em diálise peritoneal 416 Avaliação de programas educacionais em diálise peritoneal 430 Educação terapêutica e formação da equipe de saúde para programas educacionais em diálise peritoneal 433 Letramento em saúde, nível educacional e desfechos em saúde 438 Conclusão 441 Referências 442 18 Diálise sustentável: uma tendência 445 Introdução 445 Impacto ambiental da diálise 446 Pegada de carbono 448 Diálise e nefrologia sustentáveis ao redor do mundo 449 Medidas sustentáveis 451 Conclusão 461 Referências 461 Índice alfabético-remissivo 465
      Prefácio xxiii Prefácio à edição brasileira xxvii Apresentação xxix Apresentação à edição brasileira xxxi 1 Marcos na diálise 1 Stephen Z. Fadem Introdução 2 Marco 1: a diálise projetada como tratamento para a doença de Bright (1861) 2 Marco 2: heparina (1916) 3 Marco 3: celofane para diálise (1937) 4 Marco 4: a primeira máquina de diálise (1943) 5 Marco 5: transplante de rim (1954) 8 Marco 6: desenvolvimento do acesso arteriovenoso (1960) 8 Marco 7: diálise domiciliar 11 Marco 8: tecnologia de fibras ocas e membrana (década de 1960) 14 Marco 9: infraestrutura para o desenvolvimento de diálise – National Medical Care 17 Marco 10: alteração da Previdência Social de 1973 (1973) 18 Marco 11: Kt/V (1985) 29 Marco 12: agentes estimuladores da eritropoiese (AEE) (1989) 31 Marco 13: doença renal crônica – distúrbio mineral e ósseo (DRC-DMO) (2005) 33 Conclusão 33 Referências 34 2 Unidades de cuidados de transição e doença renal crônica em estágio terminal 38 Introdução e histórico 39 Elementos de um programa de cuidados de transição 41 Aspectos operacionais de um programa de cuidados de transição 45 Conclusão 49 Referências 51 3 Manejo da anemia em pacientes em diálise 53 Ana Flávia Moura, Joan A. Oliveira Moitinho, José H. R. Suassuna Introdução 54 Diagnóstico e avaliação da anemia 55 Tratamento de anemia com compostos ferrosos 56 Papel dos agentes estimulantes da eritropoiese na anemia em pacientes com DRCT 60 Transfusão de concentrado de hemácias 63 Novas terapias 64 Conclusão 66 Referências 66 4 Distúrbio mineral e ósseo na doença renal crônica e calcificação vascular 72 Introdução 72 Anormalidades no metabolismo mineral 73 Anormalidades no turnover, mineralização, volume, crescimento linear e força ósseos 80 Calcificação extraesquelética 85 Conclusão 91 Referências 92 5 Doença renal crônica em estágio terminal e malignidade 102 Introdução 103 Incidência e fatores de risco para câncer em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal (DRCT) 106 Prognóstico e desfechos clínicos 115 Conclusão 117 Pérolas clínicas 117 Referências 118 6 Depuração de ureia pela diálise e metas de depuração 125 Introdução 126 Depuração de ureia pela diálise 126 Depuração do dialisador por sessão 127 Alvos Kt/V ureia 127 Modelos de Kt/V ureia para hemodiálise 127 Kt/V ureia para ajustar a frequência de hemodiálise 129 Utilizando a máquina de diálise para estimar a depuração de ureia 130 Estimando a depuração em pacientes em diálise peritoneal 130 Diálise incremental para depurações de soluto 131 Depuração de ureia renal equivalente 132 Diálise aumentada 133 Erros no cálculo de Kt/V 133 Depuração convectiva do dialisador 134 Interpretando a adequação em pacientes em hemodiálise 135 Métodos alternativos de avaliação da adequação da depuração do dialisador 135 Resumo: ajustando metas de Kt/V para pacientes individuais 136 Referências 136 7 Fadiga em pacientes em diálise 138 Introdução 139 A importância da fadiga 140 A prevalência da fadiga em pacientes tratados com diálise 141 Fatores associados à fadiga na população geral 141 Fadiga em pacientes tratados com diálise 145 Fadiga pós-diálise 145 Diagnóstico e medida da fadiga 147 Medidas neuromusculares 147 Abordando uma pessoa que reclama de fadiga 148 Tratamentos potenciais para fadiga crônica em pacientes tratados com diálise 150 Potenciais tratamentos para fadiga pós-hemodiálise 153 Conclusão 154 Referências 154 8 Redução de internações e reinternações em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal 160 Introdução 161 A magnitude do problema: hospitalização de pacientes com DRCT 162 Sobrecarga volêmica crônica 164 Estratégias para o manejo da sobrecarga volêmica crônica 165 Problemas com o acesso à diálise 167 Anemia em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal 169 Deficiências nutricionais em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal 172 Doenças cardiovasculares em pacientes com doença renal crônica em estágio terminal 175 Depressão em pacientes com doença cardiovascular crônica 177 Modelo de intervenção para reduzir hospitalizações e reinternações frequentes 180 Conclusão 182 Referências 182 9 Hipertrofia ventricular esquerda em pacientes em diálise 192 Introdução 192 Definição de HVE 193 História natural da HVE na DRC e na DRCT 193 Métodos diagnósticos de HVE 200 Conclusão 201 Referências 203 10 Noções básicas da fístula arteriovenosa para hemodiálise 206 Introdução 207 Tipos de fístula arteriovenosa 207 Seleção de vasos adequados 208 Preservação das veias 210 Momento para cirurgia e escolha dos tipos de fístula arteriovenosa 211 Falha primária da fístula arteriovenosa 213 Complicações da fístula arteriovenosa 215 Conclusão 218 Agradecimentos 218 Referências 218 11 Hemodiálise intensiva 221 Introdução 222 Aspectos técnicos 224 Prescrição de hemodiálise 225 Depuração de soluto 227 Seleção de pacientes para um cronograma intensivo de diálise 229 Treinamento para um cronograma de diálise domiciliar intensiva 230 Barreiras para a hemodiálise domiciliar 231 Histórico de fatores financeiros que afetam a utilização da hemodiálise domiciliar nos EUA 232 Desfechos 234 Benefícios cardiovasculares 235 Conclusão 244 Referências 245 12 Hemodiálise domiciliar 257 Introdução 258 Epidemiologia e demografia 258 Definição e equipamento 259 Desfechos clínicos 261 Dosagem e adequação 267 Recrutamento dos pacientes 270 Triagem dos pacientes 271 Treinamento do paciente 271 Barreiras ao crescimento, sobrevida da técnica e descontinuação 272 Segurança 274 Acesso vascular 275 Referências 276 13 Hemodiafiltração online na doença renal crônica: da prática clínica à evidência 280 Introdução 281 Princípios básicos da HDF online 283 Pré-requisitos para o desenvolvimento de programas de HDF 285 Modalidades de substituição 288 HDF pré-diluição – a experiência japonesa 291 Prescrição da HDF 296 Revisão de evidências clínicas que apoiam o uso da HDF 297 Medicina baseada em evidências revisitada à luz da HDF 304 O que está faltando para preencher a lacuna e provar a superioridade da HDF? 307 Referências 308 14 Cuidados paliativos em diálise 316 Introdução 317 Incluindo a opção de cuidados paliativos na cultura atual de cuidados de diálise 318 Racional para a mudança na abordagem 323 Componentes essenciais da integração dos cuidados paliativos ao cuidado do paciente em diálise 328 Reconhecendo as mudanças em fatores clínicos, funcionais e psicossociais que impactam a tomada de decisões e as metas de cuidado 330 Apoiando os pacientes através da sequência de cuidados em sua jornada clínica e psicossocial 332 Conclusão 336 Referências 336 15 Uma perspectiva global de 360 graus da diálise peritoneal: economia, programas e políticas de saúde 342 Introdução 343 Economia da saúde e diálise peritoneal: o momento global 344 Diálise na África, um recurso escasso: diálise peritoneal como uma oportunidade 350 A política de PD-first na Tailândia 362 Conclusão 368 Referências 369 16 Uma realidade global 360 graus da diálise peritoneal: experiência clínica e evidência 376 Introdução 377 Adequação da diálise no México: suas origens e consequências não resolvidas 378 Uma experiência de diálise peritoneal única no Oriente Médio 384 O renascimento da diálise peritoneal na injúria renal aguda 390 Diálise peritoneal em indígenas australianos: uma visão pessoal 396 Observações finais 405 Referências 407 17 Educação em diálise peritoneal: uma perspectiva global 415 Introdução 416 Conteúdo curricular e avaliação de aprendizagem dos programas educacionais dos pacientes em diálise peritoneal 416 Avaliação de programas educacionais em diálise peritoneal 430 Educação terapêutica e formação da equipe de saúde para programas educacionais em diálise peritoneal 433 Letramento em saúde, nível educacional e desfechos em saúde 438 Conclusão 441 Referências 442 18 Diálise sustentável: uma tendência 445 Introdução 445 Impacto ambiental da diálise 446 Pegada de carbono 448 Diálise e nefrologia sustentáveis ao redor do mundo 449 Medidas sustentáveis 451 Conclusão 461 Referências 461 Índice alfabético-remissivo 465
    • ISBN
      9786555765427
    • Largura
      15,5 cm
    • Altura
      22,5 cm
    • Profundidade (lombada)
      3,5 cm
    • Número de páginas
      504
    • Encadernação
      Brochura
    • Ano de publicação
      2023
    • Tipo de produto
      Livros

    Quem viu, viu também

    9786555765427_capa3D-min

    Diálise - 1ª Edição - Desafios clínicos e tendências no tratamento

    R$ 306,00
    R$ 88,74
    -71%